1 1
Home Quem escreve Meus livros Contato

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

TERRA DO CHAMPANHA

Pedaço do meu coração... minha terra!...
Linda região... da serra...
Onde passa a Maria... Fumaça
Sempre espalhando alegria... e graça;
Terra dos espumantes... das cantinas...
Das lindas e exuberantes... meninas;
Terra dos vinhos... finos...
Dos passeios por caminhos... divinos!...
Terra onde o passado... é visto de Tim-Tim...
É admirado, fotografado... é um imódico jardim...
Garibaldi é a minha... cidade...
É a terra da rainha... da felicidade...
Então venha realizar... uma façanha!
Venha à Garibaldi degustar... o Champanha;

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

HOSTES ANGELICAIS

Hostes angelicais que das alturas
Mais belas do céu zelam nossos passos;
Hostes celestes de anjos nos teus braços
Meu divino Deus das doces frescuras;

Noites mágicas, noites tão escuras...
Anjos de luz nos cândidos espaços...
Ó legião de anjos límpidos nas puras
Noites de sentimentos aos enlaços!...

Lindo brilho na doce imensidão...
Anjos vestidos no puro brancor
Que cobre os céus nas lindas madrugadas!...

Lene vento no forte turbilhão
De luzes que os céus cortam no frescor
Das noites mais serenas e zeladas!...

Soneto

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

NA TUA VOZ

Na tua voz suave a primavera
Desabrocha enchendo o jardim de cores;
Como é lindo o teu canto nesta esfera
De luz, é lindo tanto quanto as flores;

No silêncio da noite tu espera
Brancas formas angélicas, fulgores
Duma luz celestial que nos supera
Pela imensa beleza e reais brancores;

Quero ouvir teu canto eleito, tal prece
Cantada para o altíssimo que tece
Este caminho de luz no qual andas;

E ouvindo-te das cândidas varandas...
Entrego minha alma à voz doce e bela
Lapidada nos lábios teus Lisbela;

Soneto

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

AO MEU ETERNO AMOR

Ao meu eterno amor esta lembrança...
Estas palavras que o meu coração
Lapidou lindamente na esperança
De poder ouvir a nossa canção;

Minha alma se alimenta da paixão
Que ferve no teu peito doce criança;
És o meu eterno amor... perdição...
És minha paixão, minha doce herança;

Suspiro os teus amores virginais...
Os teus perfumes tão suaves no ar...
A tua beleza a me conquistar;

Suspiro os teus aromas naturais
E os teus olhares lindos de se ver...
Suspiro o teu amor a me querer;

Soneto                                   

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

CAVEIRA DE UM POETA

Cinzas da carne reduzida... a pó...
Larva cósmica da podre... substância...
Resíduos do corpo suicida... e só
Na putrefação nobre... e na ânsia

Vermicular desconhecida... dos platelmintos sem dó...
Se fartando até que nada sobre... da superabundância
Da minha carne contorcida... como o nó
Da gravata que cobre... meu pescoço com elegância;

Dentro do caixão o crânio... vazio...
Os olhos arrancados... sem piedade
E o terno preto em estado final... de decomposição;

Dentro dele um osso de titânio... sombrio...
E ventos gelados... em liberdade
Percorrendo minha caveira ao natural... na escuridão;

sábado, 19 de outubro de 2013

VOZES DO NOSSO INTERIOR

Um coração, uma alma, uma paixão...
Um beijo, um toque, um tímido carinho...
Um abraço apertado, uma canção
De amor a iluminar o teu rostinho;

Uma esperança, um sonho, uma visão...
Um jardim, uma rosa sem espinho...
Um sentimento lindo desde então
Que alegra meu peito ainda tão sozinho;

Uma chama de amor a florescer...
Uma palavra linda de dizer...
Uns olhos tão brilhantes me sorrindo;

Uma lembrança tão bela guardada...
Uma estrela a brilhar na madrugada...
Um luar vestindo o manto mais lindo;

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

FLOR


Flor dadivosa que do perfume eu bebo;
Queria junto de ti à noitinha dormir...
Queria com a pureza do amor que percebo
Crescer dentro de mim te cobrir;

Sou tão jovem, e ainda mancebo
Para querer dormir junto a ti e sorrir;
És uma flor, e só o que de ti recebo
É o teu perfume a me seduzir;

Tuas pétalas se abrem e eu estremeço...
O perfume delas vem em minha direção
E inebriam meu pobre coração;

É tanta pureza... Será que eu mereço
Sentir o teu perfume de donzela...
Será que eu mereço minha flor bela...

terça-feira, 15 de outubro de 2013

PROFESSORES

São estrelas em fulgores...
São sonhos a acontecer...
São diamantes que os valores
Não se pode dizer;

São como o aroma suave das flores...
São a palavra e o saber...
São um arco-íris de cores
A cobrir o céu no alvorecer;

São a estrada da vida...
A primavera mais colorida...
A luz de cada manhã.

São a esperança dum amanhã
Verem o cristal mais bonito

Brilhar lindamente no infinito;

Poesia

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

QUERIA SER O ZÉFIRO

Queria ser o zéfiro e brincar na candura
Dos teus cabelos castanhos, perfumados;
Queria tão somente despertar da loucura
Destes meus sonhos estranhos, alucinados;

Queria parar de sonhar com a doçura
Dos teus lábios em tamanhos desejados;
Queria apenas me encontrar na escura
Noite sem os ganhos imaginados;

Queria ouvir cada batida do teu coração...
Ver-te lindamente sorrir de antemão
Como uma borboleta pelo ar;

Queria mergulhar fundo nos teus cachos
Como se eles fossem o mais profundo dos riachos...
Queria me embriagar de tanto te amar!...

domingo, 13 de outubro de 2013

GOSTAR E AMAR

Gostar é enganar o coração...
Amar é a mais pura realização;
Gostar é sentir mais tarde o espinho...
Amar é receber agora um carinho;
Gostar é dor que não desatina...
Amar é chama que domina;
Gostar é um querer esquecer...
Amar é fazer acontecer;
Gostar é esperar por quem nunca vem...
Amar é se entregar de alma para alguém;
Gostar é ficar na saudade...
Amar é encontrar felicidade;
Gostar é tempo perdido...
Amar é não sair ferido;
Gostar é fantasiar...
Amar é simplesmente amar;

terça-feira, 1 de outubro de 2013

DA REGRESSÃO HUMANA

Só pensamos no dinheiro, na materialização...
No luxo, no carro do ano, na roupa elegante;
E com isso esquecemos da alma e do coração...
Deste pequeno e tão raro diamante!

Vivemos uma vida à toa, onde a ilusão
Nos leva para uma atmosfera distante...
Só percebemos a chegada da escuridão
Quando o sol deixa de ser tão brilhante!

Estamos regredindo ao invés de evoluir...
Estamos destruindo ao invés de construir...
Estamos matando o nosso planeta...

E matando a nós mesmos
Sombras que vagam sem esmos...
Uma a uma em direção a uma valeta!...