1 1
Home Quem escreve Meus livros Contato

segunda-feira, 30 de junho de 2014

MEDO

Sentir medo atrai mais medo...
Faz baixar a vibração...
Te mantém preso em segredo
Com as chaves da prisão;

Quantos tem medo da morte...
Ou será da própria vida...
Quando esta sofre algum corte
Dói mais que uma ferida;

Os que temem um assalto
São justamente assaltados...
Dentro de casa ou no asfalto...
Pensamentos conectados;

Os medos são os teus filhos...
Vivem do teu pensamento...
Tirando você dos trilhos...
Matando cada momento;

Se continuar assim
Sentindo medo de tudo...
Vais presenciar o teu fim
Dentro de um quartinho mudo;                                               

segunda-feira, 23 de junho de 2014

ZUMBIS

A matrix chamada terra
Sabe bem moldar zumbis...
Faz tantos quererem guerra
E ficar pedindo bis;

Nas ruas pessoas vazias
Caminham sem direção...
Buscando por alegrias
Que não sente o coração;

Não querem carne humana...
Querem só tecnologia;
Pobre geração insana
A correr desta poesia;

Vamos lá pessoal, em fila
Para ganharem o chip...
Não querem vida tranqüila
Como a daquele astro vip!...

Zumbilândia moderna...
E não querem despertar...
Rastejam com uma perna
Brincando no celular;

segunda-feira, 16 de junho de 2014

CONSCIÊNCIA

Só a expansão de consciência
Pode colocar um fim...
Em cada ato de violência
Que faz o mundo ruim;

Ainda hoje as limitações
Assumem o seu papel...
Derrubando corações
Como torres de babel;

São fáceis de controlar...
Parecem uns robozinhos...
Basta o botão apertar
Que eles fecham os olhinhos;

Assim como o celular
Podem bem estar chipados...
Ou não querem acordar
E serem reprogramados;                                                         

segunda-feira, 9 de junho de 2014

PLANETA TERRA

Você está preparado
Para ir ao planeta terra!...
Só não vá ficar chocado
Com uma ou com outra guerra;

Assinamos uma carta
Assumindo compromissos...
Antes fosse para Agartha
Bem longe de tantos omissos;

Você já nasce apanhando...
Um tapinha de boas vindas;
Precisa ir se acostumando
Com as lágrimas infindas;

Nesta escola tem de tudo...
Estupradores, bandidos...
Corpo enterrado e desnudo
Em buracos escondidos;

Criancinhas desaparecem
Para alimentar rituais;
Sacrifícios acontecem
Pelo sangue de mortais;

Uma bala bem na testa...
Um roubo de carro diário;
Para muitos é festa
Neste planeta primário;

Alguns esperam Jesus...
Se eu fosse ele não voltava...
Vai terminar numa cruz
Como quando aqui pregava;

segunda-feira, 2 de junho de 2014

LAVAGEM CEREBRAL

Há lavagem cerebral
Nas religiões, nos estudos;
Que mundinho artificial...
Entram chorando e saem mudos;

O ensino superficial
Se tornou obrigação...
O professor ganha mal
Sem ter mais poder de ação;

Nem sei se vão estudar
Ou só para pegação;
Brincar com o celular
É rotina e diversão;

Querem cursar faculdade...
Pendurar o tal diploma
Envolto na insanidade
De uma cabeça ainda em coma;

Notícias manipuladas
Passam na televisão;
Mentes sendo controladas
Pela escória de plantão;

Está tudo tão banal...
A vida é como a novela...
Onde os filhos e o casal
Passam uma noite bela...

Tão bela vendo traições...
Vendo tanta baixaria...
Vendo um mundo de ilusões
Regados a putaria;