1 1
Home Quem escreve Meus livros Contato

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

BEETHOVEN




















Não tem hora marcada, ela vem de surpresa;
Ouve-se na ante-porta a suave batida...
É um último tan tan tan tan de tristeza...
É só mais uma triste alma na despedida;

A morte é fatalmente uma doce certeza...
Enquanto a vida é só uma flor colorida
Num jardim encantado duma natureza...
Vestida na brancura da luz merecida;

A morte é uma triste e encantadora viagem...
A vida... uma fantástica e doce passagem
Na terra a zelar pelo desejado amor;

O fatídico tan tan tan tan todos ouvem...
Até o majestoso surdo do Beethoven
O ouviu na porta e o decidiu compor;


22-05-07 Soneto a Ludwig Van Beethoven

31 comentários:

Ivone disse...

Lindo poema meu amigo poeta sensível!
Os ouvidos da alma ouvem, os olhos enxergam, a boca mesmo que nem sequer diga uma palavra, consegue se comunicar, eis o milagre da alma, só ela vive eternamente e isso é consolador, portanto a morte não existe, mas sim a ilusão dela!
Abraços meu amigo sempre querido, tenhas uma linda semana!

Cidália Ferreira disse...

Simplesmente Divino!

Beijos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Bell disse...

Oi Samuca

Ele com certeza marcou, e todos podem conhecer suas obras até os dias de hj.

bjokas =)

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Maravilhoso amigo Samuel,aí o Mestre nos mostra,que mesmo não ouvindo ele era magnifico.
Bjs e uma ótima semana.
Carmen Lúcia.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Maneiro, ficou joia.

=)

Gabryel Fellipe El Costa disse...

Suave após martelar a mente!

http://gabryelfellipeealgo.blogspot.com.br/

Dorli Ramos disse...

Oi Samuel
Essa música é muito triste....
Demorei porque fui ao médico longe
Beijos
Dorli

Tais Luso disse...

Naturalmente estás falando da 5ª Sinfonia, um dos clássicos mais conhecidos! Teu poema traz a tristeza da música, o final de tudo que é real na Terra. Mas tudo que é real aqui, deve ter um dimensão enorme noutro plano. Quase tudo de Beethoven é dramático, triste, grandioso... um mistério, tanto quanto a morte. Imaginamos o que possa ser, mas não sabemos nada sobre ela. Teu poema é belo, querido amigo! Fui lendo e imaginando, ouvindo o tan tan tan tan... triste pra caramba!
Beijos!!

Elyane Lacerdda disse...

Lindíssimo e verdadeiro!
A vida é passagem mesmo, sabemos bem disso,
mas muitas vezes nos encantamos e esquecemos que tudo é breve!!!!!
Linda semana, meu amigo poeta!
http://www.elianedelacerda.com

Bandys disse...

Ola doce amigo,
A vida é um sopro,
aproveitar todas as melodias
e ter a sensibilidade de tocar o coração.
Lindo demais Samuel
Beijos de paz e luz

Cecilia Cilegal disse...

Adoro Beethoven. Parabéns por mais este belíssimo poema querido Samuel, é tão bom e faz tão bem dedicarmos poesias a pessoas especiais como nosso saudoso Beethoven. Beijos meus e fica com DEUS.

Roselia Bezerra disse...

Olá, Samuel
Tenho pensado muito na efemeridade da vida...
Lindo poema sobre tal tema...
Abraço fraterno

Aline Teles disse...

Adorei o "tan tan tan...", risos. Eu sou apaixonada por música clássica. O rock é o meu amor, mas a minha paixão só aumentou com passar do tempo. E estou escutando adivinha o quê? Claro! O mestre Beethoven. A 9th Symphony 'Choral'. É magnífico. Coincidência prazerosa. Beijos...

Nequéren Reis disse...

Poema maravilhoso profundo e sensível como a musica tocada pelo Beethoven.
Canal:https://www.youtube.com/watch?v=EgeQXJjUpSQ
Blog:http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/

Leidiana Pereira disse...

Seus versos são lindos! ^_^
Não gosto muito das músicas do Beethoven, mas conheço pessoas que amam as músicas dele e admira muito o trabalho que ele fez.
Beijos. ♥

Diário da Lady

Aline Teles disse...

Eu gostaria de arranhar nona sinfonia em um belo piano. Eis um sonho que talvez um dia eu tenha o prazer de realizar. Beijinhos.

Pérola disse...

Um fluir poético inspirador.

Beijo

Fábio Murilo disse...

Beethoven ficou surdo dom o tempo, mas, mesmo assim ainda continuou a compor. Normalmente o sujeito acometido dessa fatalidade, digo fatalidade por ele ser musico, "tudo a ver com surdez", e não se abater e continuar obstinadamente a compor. Fez também a linda Sonata ao Luar, ouvi que pra uma aluna de quem ele "era a fim". Uma cara comum do seu tempo. Um gênio que mesmo surdo compunha, coisa de gênio mesmo. Abraços, Samuel.

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Oi Samuel,passando para lhe desejar um lindo final de semana,extensivo ao feriado.
Bjs amigo.
Carmen Lúcia.

Mi F. Colmán disse...

Uau poeta! Arrasou!
O fim do poema ficou suuuuper show! Fiquei lembrando do filme Minha Amada Imortal que me marcou bastante.
Gosto das tuas poesias neste estilo e também aquelas mais malditas. São as que mais me atraem.
Parabéns!
Beijos e um ótimo findi para ti.

Rivotril com Coca-Cola

Danny disse...

Emocionante! Muito lindo o poema.. Ele encanta corações até hoje, e sempre será lembrado por suas belas obras.

http://destinoincertoo.blogspot.com.br/

Vanessa M. disse...

Lindíssimo soneto, Samuel.. sou apaixonada por música erudita, então não pude deixar de gostar.
Teus versos são excepcionais.. aqui, ficaram muito bem colocadas as referências ao grande Beethoven, atreladas às afirmações a respeito da efemeridade da vida.
Façamos como Beethoven, aproveitemos nossas vidas buscando realizar coisas grandiosas e belas, apesar das dificuldades que virão a surgir..
Tal como este mestre, que nem mesmo a surdez o impediu de criar grandes sinfonias.

Um forte abraço

Mila disse...

Muito boa!
A vida é mesmo uma passagem e merece ser bem vivida!
Bjs

http://achadosdamila.blogspot.com.br/
https://www.facebook.com/achadosdamila

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa noite, querido poeta, tanta sensibilidade para escrever sobre a morte. Realmente,ela é apenas uma simples viagem cujo destino é chegarmos melhores do que fomos antes da viagem. A morte é apenas a chegada à outra estação, na qual Beethoven já chegou há muito tempo. Grande abraço!

Edna Sa disse...

Olá Sam!
Obrigado pelo comentario e pela visita...Que lindo poema este! Nao menos encantador do que os outros... Falar sobre certas coisas q a vida as vezes nos prega, sobre tristezas e sobre a morte nao é facil, mas teu dom é infinito! Te admiro cada vez mais... beijos da Edna
http://diamantenegroraro.blogspot.com.br/

Sony Azevedo disse...

Sua genialidade aprimorou-se em seus outros sentidos. Compunha com os olhos do coração e dedilhava com o tatear da alma. Rica homenagem em magnífico soneto. Luz e paz. Abs

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Olá menino Samuel,obrigada pela visita e comentário.
Bjs e um ótimo final de semana.
Carmen Lúcia.

Dorli Ramos disse...

Oi Samuel
Passando para lhe desejar um ótimo domingo
Beijos no coração
Dorli Ramos

sintonizando palavras disse...

Boa tarde querido Samu.
Beethoven, imaginem só mesmo surdo punha-se a compor com tamanha precisão, determinação, realmente ele era um excelente exemplo de determinação e suas melodias, um encanto para nossos ouvidos.
Simplesmente apaixonante e palavras bem colocadas as suas.
Beijos e fica com DEUS.

Rita Sperchi disse...

Bom dia de domingo ,vim te visitar deixar um
abraço pelo seu carinho, e amizade, mais uma
vez elogiar o que sempre tem de bom por aqui
Que sua semana comece cheia de alegria e muita paz

Bjussss

└──●► *Rita!!

Poções de Arte disse...

Demorei, mas cheguei, então vou ler tudo o que deixei passar rsrs.
Adorei este poema!
Gosto de ler e saber sobre personalidades que mesmo "limitadas" faziam tanto. Sem a tecnologia atual contribuíram pra que tanto fosse feito hoje em dia. E a música? Isso sim era música - composições harmoniosas... Hoje em dia... é até ofensa chamar algumas coisas de música rsrs.

A vida é somente uma passagem... se todos tivessem essa convicção, seria tão mais fácil vivê-la!
Parabéns pelos versos, abração.