1 1
Home Quem escreve Meus livros Contato

segunda-feira, 21 de março de 2016

JOÃO E O PÉ DE FEIJÃO



















João era um doce menino
Que a mãe mandou ao mercado...
Para vender o bovino
Em troca de algum trocado;

Um estranho lhe oferece
Cinco mágicos feijões...
Pela vaca que parece
Tão magrinha e sem funções;

Sua mãe enfurecida
Pela janela atirou...
Os feijões cheios de vida
Que a terra então germinou;

As sementes germinaram
Dando origem a gigantes
Pés de feijão, que passaram
Lá das nuvens mais brilhantes;

 Ao acordar ele escalou
Aquele pé de feijoeiro...
E lá em cima encontrou
Um castelo verdadeiro;

 O castelo era habitado
Por um homem grandalhão...
Que mantinha do seu lado
A galinha do milhão;

A galinha colocava
Ovos de ouro no tocar...
Da harpa de ouro que brilhava
Lá no mais sublime altar;

João furtou dele a galinha
E a harpa de ouro reluzente...
Desceu ela na tardinha
E a cortou rapidamente;


16 comentários:

Ivone disse...

Que lindo poetar, essa bela estória a nos contar em forma de versos rimados para nos encantar!
Amei ler amigo querido Samuel!
Abraços bem apertados!

Cidália Ferreira disse...

Que bonito Samuel
Já tinha saudades do teu espaço, bem como dos teus poemas! Parabéns.


Excelente semana...Beijinho.

Coisas de Uma Vida 172

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Adorei Samuel!
Vou ler para o meu neto.
Bjs e uma ótima semana.
Carmen Lúcia.

Bell disse...

Adoro essa história.

bjokas =)

Larissa Fonseca disse...

Quanto talento para transpor um conto tão marcante nas nossas memórias de infância para poesia, céus...

Roselia Bezerra disse...

Boa Tarde, Samuel!
Um poema singelo e que me lembrou minha infância...
Bjm muito fraterno

Mariangela do lago vieira disse...

Oi Samuel, boa tarde amigo!
Que delícia de poema, lembrei dos meus tempos na escola!
Um abraço, e uma linda tarde!
Mariangela

Bandys disse...

Olá Samuel.
Sempre é bom relembrar estórias que faze,m parte de nossas vidas. João e o Pe de feijão é um clássico.
Adorei. Assim como eu gosto de tudo que vc esparrama pelas mão.
Um enorme abraço meu querido amigo.
Beijos

Vanessa M. disse...

Lindíssimo poema, Samuel.. Versos tão delicados e que nos proporcionam uma doce sensação nostálgica!
Eis um conto de fadas que muito ouvimos quando crianças, e quão bom é recordar..

Tenha um bom feriado!
Um grande abraço

Brisa Petala disse...

BOA NOITE
Que tudo o que sonhamos se transforme em realidade.
Que o Amor pelo próximo seja nossa meta absoluta.
Que nossa jornada de hoje esteja repleta de flores.
Feliz Páscoa

Tais Luso disse...

rss, que delícia recordar certas histórias, querido Samuel! E que ritmo ótimo, ficou!
Beijos, uma ótima semana!

ALÉM DAS SIGLAS POESIAS disse...

Adorei ouvir a mesma história nessa versão tão poética!! Parabéns Samuel, sempre talentoso, bjs

Helena G.S.R disse...

Que bacana, Samuel!
Já adorava a história, mas em suas palavras, então... nem se fala.
Parabéns!

Beijos.

Nyce Pinto. disse...

Olá Samuel, quanto tempo? Saudades das tuas poesias, sempre recheadas de magia! Lembrei do filme "a verdadeira estória de João e o pé de feijão"... Um abraço e uma linda semana...

Poções de Arte disse...

Que lindo, Samuel! Gostei demais e viajei...
Lembrei de um filme que assisti a pouco tempo "Caminhos da Floresta". Já assistiu? É muito legal! Mistura vários contos infantis e tem no elenco a maravilhosa Meryl Streep.

Parabéns por mais este belo poema.

Abração e feliz dia (manda um pouquinho de chuva pra cá!!!).

Admin (Dos gibis aos livros) disse...

Oii Samuca!! Quanto tempo, guri!!
Amei a poesia, estou curtindo muito o universo infantil agora que sou mamãe.
E como estão as coisas por aí?? Abração, Nanda!
E dá-lhe chima pra esquentar nesse friozão!!