LAPIDANDO VERSOS

Home Quem escreve Meus livros Contato

domingo, 7 de abril de 2019

AO MEU CÃO MORTO



AO MEU CÃO MORTO

Como não lembrar dos teus olhos cor de mel,
Os guardo dentro de mim com tanta saudade.
Meu doce amigo, que por anos foi-me fiel,
Vestindo-me com sua real felicidade.

Saudade de passear aos domingos contigo,
De te pegar no colo e sentir tal amor,
Que emanavas no teu olhar querido amigo,
Um olhar puro que zelo em meu interior.

Dezessete anos em nossas vidas meu cão,
Derramando sobre nós a tua alegria,
Sempre vamos lembrar com real admiração,
Do nosso Dudy, que visto nesta poesia.

Meu cãozinho, obrigado por nos escolher,
Por encher nossas vidas de luz nestes anos,
Tão difícil foi ver-te gemer e morrer,
Ver teus olhinhos nos dizendo adeus humanos.

terça-feira, 25 de dezembro de 2018

A VIDA

A vida não se importa com diplomas,
Não nos julga, ela apenas nos convida
Para bebermos nas manhãs, aromas
Únicos, ofertados sob medida.

A vida é uma flor de amor e comas,
É uma primavera colorida,
A provocar em nós doces sintomas,
Por estar sempre de cores vestida.

sábado, 13 de outubro de 2018

NOVO DIA

Novo dia reluz incomparável,
Aos nossos olhos cheios de esperança.
A vida se faz vida no saudável
Correr dos tais ponteiros sempre em dança.

Exale os ares da manhã amável,
Mergulhe no sorriso de uma criança,
Onde a pureza se faz tão afável,
Onde a vida é bem mais que uma lembrança.

domingo, 9 de setembro de 2018

QUE SAUDADES

Que saudades de ti cândida flor,
Do teu sorriso lindo como o céu,
Dos teus olhos profundos, dum negror
Divino que tornou meu ser teu réu.

Via-te nos meus sonhos meu amor,
Sempre coberta pelo fino véu.
Teu perfume do mais cândido odor,
Levou minha alma pelos céus ao léu.