1 1
Home Quem escreve Meus livros Contato

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

DESORDEM MENTAL

Desordem mental, células ativas;
Pensamentos confusos aos milhares;
Rodopio das idéias depressivas
Na vulgaridade ética dos ares;

Alucinação das bactérias vivas
Ocupantes dum corpo sem pilares;
Desfragmentado pelas ilusivas
Formações de simbólicos luares;

Conformidade das formas possíveis;
Sons tímidos ouvidos nos terríveis
Espaços infundidos no meu ser;

Transmutação ilógica das formas;
Vislumbre de palavras e de normas;
Potencialidade onde sei viver;

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

CHUVA DE ROSAS




















Eu tive um sonho tão lindo
Numa noite estrelada...
Vi rosas do céu caindo
Perfumando a madrugada;

Uma linda chuva de rosas
Molhando nossos corpos e almas...
Madrugada tão gostosa
Sentindo o amor trazendo calma;


Eram gotas de rosas brancas...
Carregadas de carinhos...
Tornando a vida mais branda
Por não terem tais espinhos;

Chuva com aromas magistrais
Perfumando nossos corações
Descendo dos céus celestiais
Em todas as direções;

A chuva tornou-se tempestade
E do céu caíam pétalas sem fim...
Misturando sonhos à realidade
E fazendo do mundo um jardim;

As pétalas eram perolizadas...
E vestiram nosso sorrir...
Tornando mais iluminadas
Nossas almas a colidir;

NLC/ Samuel

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

CHAPOLIN

O Chapolin colorado
Com sua marreta biônica...
Atende qualquer chamado
De homem ou mulher irônica;

Silêncio, as minhas antenas
Detectam um inimigo...
Escondam-se nas pequenas
Salas, procurem abrigo;

Sigam-me os bons, quem o segue
Fica sempre desconfiado...
Embora ninguém o negue
Mesmo sendo atrapalhado;

É o polegar vermelho
Pronto para defender...
Sempre beija algum espelho
Quando chega sem bater;

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

CHAVES

Mora dentro do barril
O menino trapalhão...
Que sonha tanto com mil
Cruzeiros na sua mão;

Sanduíche de presunto
É tudo que ele deseja...
Quico sempre puxa assunto
Mas não dá o que ele anseja;

Sempre causa confusão
Que sobra para o Madruga...
Da Florinda um só tapão
Ganha ele sem tentar fuga;

É a vila do Chaves...
Do menino pobrezinho
Que vai brincando nas naves
De brinquedo do Quiquinho;

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

MOMENTOS MÁGICOS

Segure firme querido...
A mamãe vai balançar
O balanço divertido
A flutuar aqui no ar;

Pode fechar os olhinhos...
Sinta o vento te tocar
Ouvindo dos passarinhos
O doce cantarolar;

Sinta os perfumes no rosto
Das plantas ao teu redor...
Todas te olham com um gosto
Tão adocicado amor;

Elas te sorriem tanto...
Mesmo que tu não às veja;
Em cada riso um só canto
Do amor delas que te beija;

Sempre lembre do balanço
E como a vida era vida...
Neste poema que de manso
Veste tua alma rendida;


segunda-feira, 17 de novembro de 2014

O BALANÇO

O papai vai empurrando
O balanço lentamente...
Para o filhinho sonhando
Nas alturas docemente;

O balanço vai sozinho
Com o impulso dos pezinhos...
Papai ainda de ladinho
Sorri cheio de carinhos;

O filhinho sente a brisa
Tocar o rosto feliz...
Magia que diviniza
O coração aprendiz;

O balanço vai e vem...
Sempre deixando sorrisos
No rostinho que retém
Lindos tons dos paraísos;

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

O BEBÊ

A mamãe dá de mamar
Ao filho recém nascido...
Olhinhos a transbordar
O carinho recebido;

Segura de tal jeitinho
O bebê a se prender...
No seio donde o leitinho
Mais gostoso vai beber;

Que momento mais bonito
Ver o filhinho nos braços...
Da mamãe com infinito
Amor ativando laços;

O bebê é um anjinho
Vindo de outras dimensões...
Para receber carinho
Dos humanos corações;

O bebê dorme contente
No bercinho colorido...
Da mamãe é o presente
Majestoso merecido;

O bebê é a bênção...
É a alegria do lar...
É o mais lindo botão
De flor a desabrochar;

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

HÍMEN

Guardas a bela e virgem flor tremendo...
Guardas ela na mais curta calcinha...
Guardas a flor cheirosa já querendo
Abrir-se e deixar de ser tão sozinha;

Guardas ela que só fica gemendo...
A flor que se mantém pura e lisinha...
E que quando tocada fica ardendo
E molhando a calcinha tão branquinha;

Guardas a mais bonita flor rosada
Ardendo cada doce madrugada...
Louca para se abrir feliz ao mundo;

Guardas ela na grande ansiedade
Para perder na cama a virgindade...
Para sorrir enfim cada segundo!...                                   

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

O BANQUETE

Carne nova descendo a cova fria...
Vermes gordos pisando sobre mim
Coberto por um terno de cetim...
Vermes fazendo de mim moradia;

Fazem valetas... tanta é a euforia
De comer uma carne carmesim...
De comer um pulmão, um baço, um rim...
Que esqueceram-se da melancolia;

Estão todos sentados no meu crânio
Raspando os duros ossos de titânio...
Lustrando o meu estático esqueleto;

É um farto banquete para os vermes...
São tantos os pedaços de epidermes
Sendo comidos num prato completo;                             

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

O ESPÍRITO NÃO MORRE

Morre o cérebro, o coração
E cada músculo em movimento;
Gela o sangue em circulação...
E se apaga a chama do sentimento;

Morre a fala, a visão...
A mente e cada pensamento...
Juntos com o amor e a paixão
E os doces minutos dum momento;

Morre a esperança de um amanhã
Ver o rio silencioso que corre
Ao som melodioso de um rouxinol;

Morre tudo no afã!
Só o espírito não morre...
Este vai em direção ao sol...                                                    

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

A MÍDIA

A mídia comanda tudo...
Manipula informações...
Tornando-te mais um mudo
A aceitar tais condições;

Pare de ver acidentes...
De alimentar tais tragédias;
Busque canais diferentes...
Existem tantas comédias;

Querem mostrar o ruim
Pois isto gera mais medo...
Todos só pensam no fim
Desta terra do segredo;

O segredo é ver o belo
Que a vida nos oferece...
Todos somos um castelo
Feito do amor que nos tece;


segunda-feira, 6 de outubro de 2014

NAMOROS ARTIFICIAIS

Se conhecem numa noite...
Trocando beijos vazios;
Depois levam um açoite
Dos pensamentos doentios;

Namoram o celular...
Fotografam a comida...
Mal conseguem dialogar
Sobre o belo desta vida;

Um dos dois tem a coleira
Que escraviza a liberdade;
O amor desce uma ladeira
Por sua própria vontade;

Vejo troca de carinhos...
Os dedos sempre alisando
Os mais de mil modelinhos
De celulares vibrando;

Namoros artificiais...
Brigas o tempo todo...
Lágrimas amargas, reais...
Rolam do rosto no lodo;


segunda-feira, 29 de setembro de 2014

O SISTEMA

O sistema te controla...
Manipula cada ação...
Até que o corpo se esfola
Com tanta perseguição;

O sistema monitora
Todas as redes sociais...
Pois sabe que sem demora
Terá escravos virtuais;

O sistema das notícias
Programadas para o medo...
Fortalece tais milícias
Escondidas em segredo;

O sistema só vai cair
Quando todos despertarem...
Jamais deixem-se iludir
Pelas coisas que escutarem;

O sistema do remédio
Vendido nas drogarias...
Só faz aumentar o tédio
Das pessoas sem alegrias;

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

ENERGIA SEXUAL

A energia sexual
Está sendo degradada...
Quase sempre tem casal
Brigando de madrugada;

O amor vem perdendo o posto
Para o sexo desenfreado;
Não existe amor, só gosto
E um prazer desfigurado;

E o que dizer dos ficantes
Que só trocam de parceiros...
Fazendo sexo de instantes
Vazios e derradeiros;

Você quer ficar comigo!...
Que pensamento cafona...
Nem te querem como amigo...
Só grude que nada soma;

Parem de brincar com sexo...
A energia é poderosa;
Tudo tem o seu reflexo
Nesta vida tão preciosa;


segunda-feira, 15 de setembro de 2014

BELEZA VAZIA

Não adianta maquiagem
Se não há beleza dentro;
Não mudem a vossa imagem
Para agradarem o centro;

Os vestidos de boutique
Usados só uma vez...
Até te deixam bem chique
Para a festa do talvez;

Talvez eu serei notada
Se chamar mais atenção!...
Pode ser... bunda empinada
Sempre alegra o povão;

Ser centro das atenções
Gera olhares invejosos...
Pois provoca tentações
Nos seres tenebrosos;

Vossos corpos são perfeitos
Se a mente não for vazia...
Beleza não tem conceitos
Pois se veste de alegria;

A beleza natural
É lindíssima em vocês...
Pois brilham como um cristal
Do jeito que Deus lhes fez;


segunda-feira, 8 de setembro de 2014

CAMINHOS

São muitos os caminhos
Que a vida te faz trilhar...
Para encontrar pergaminhos
Que te mostrem como amar;

Na vida há um só caminho...
O caminho espiritual;
Nunca vais estar sozinho
Ser humano celestial;

Seres de luz vão te guiar...
Cesse toda a confusão
Da tua mente a gritar
Querendo uma direção;

Caminhe ao teu interior
Pois lá vais encontrar...
O teu Eu que é todo amor
Desejando te abraçar;


segunda-feira, 1 de setembro de 2014

ESSÊNCIA

Pare de olhar para fora...
De buscar outros caminhos;
Encontre-se em ti agora...
Desvendando os pergaminhos;

Como tu és especial
Ser humano genuíno...
Dentro de ti um cristal
Ilumina o teu destino;

Não mergulhe na tristeza...
Saiba que a vida é tão bela...
Que em tudo existe beleza
Nesta passagem singela;

Ó semente primordial...
Está na hora de assumir...
O teu papel principal
Nesta vida a te sorrir;

É tão linda a tua essência...
Tem fragrância de mil flores...
A embalar tua existência
Neste castelo de amores;

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

O CASAMENTO PERFEITO

Que casamento perfeito...
Nunca vão se separar...
É um amor todo feito
De torpedos a chegar;

Tal como um robô chipado
Está o humano fraterno...
Passa o dia hipnotizado
Pelo celular moderno;

Batem fotos, tem joguinhos...
Muitos parecem crianças...
Brincando nos brinquedinhos
Com as mortas esperanças;

Briga mesmo, só de chips...
Ou pelo modelo novo
Lá nas vitrines mais Vips
Esperando pelo povo;


segunda-feira, 18 de agosto de 2014

O DESPERTAR

Busque a ti mesmo, em ti mesmo...
Tire os tais véus da ilusão...
Que te deixam vagando a esmo
E olhando sem direção;

Não há religião melhor...
Nem deuses da salvação;
Há sim um Deus uno e maior
Que habita em teu coração;

Se queres tanto crescer...
Diminua-te primeiro;
Só assim poderás ver
O caminho verdadeiro;

Pare de alimentar o ego...
De achar que tudo é tão real;
Teu olho físico é cego...
Pois não vê o espiritual;

Que sentimento aprisiona
O teu ser que não desperta;
Pare um pouco e te questiona...
Deixa a tua mente aberta;

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

POLITICAGEM

Época de votação
E dá nojo só de ver...
Promessas para o povão
Que não vão acontecer;

Sempre de terno e gravata...
E a maleta da barganha;
Que nojeira mais barata...
Quem paga é quem pouco ganha;

Governadores, presidente...
Dinheiro lá na Suíça;
Tratam toda a nossa gente
Com mesquinhez e preguiça;

E o que dizer dos partidos...
É uma podridão só...
Dentro deles só vendidos...
Babacas de paletó;

Deputados federais...
Farinha do mesmo saco;
São uns purgantes letais...
Deixam o país neste caco;

Danem-se todos vocês...
Vem cá pedir meu voto...
Me mostra o que tu fez
Seu babaca, seu escroto;

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

CURANDO SEU CORPO

Não importa qual a doença...
Fale coisas positivas...
Faça a perfeita sentença
De palavras construtivas;

Focar na doença alimenta
Ela que vai te corroendo...
Que vai virar a tormenta
Para o teu corpo sofrendo;

Pare de se criticar...
De querer que sintam pena;
Comece agora a se amar...
A deixar a alma serena;

Agradeça sua saúde
E o corpo que te foi dado...
Pois quando ocupar o ataúde
Será só pó empilhado;

Você é a sua cura...
Você é o pensamento...
Sublime a palavra dura
Que mata o bom sentimento;


segunda-feira, 28 de julho de 2014

RAIVA

Pare de lançar veneno
E de ter raiva de todos...
Torne-se bem mais sereno...
Longe dos profundos lodos;

Pare de agir com dureza...
De lançar palavras frias...
Que não curam a tristeza
Das tuas noites vazias;

A raiva só afugenta
As pessoas do teu convívio...
Perto de ti quem aguenta...
Alguns fogem para o alívio;

Sentimento que te mata...
Que vai corroendo o teu ser
Até que na porta bata
Ela a levar teu viver;

Câncer é ressentimento...
É uma mágoa profunda...
Uma raiva em movimento
Que lentamente te afunda;

segunda-feira, 21 de julho de 2014

DESCASO

Os hospitais empilhados...
Pacientes nos corredores...
Médicos tão indignados
Com um cenário de dores;

Balas parecem valer
Mais do que uma vida humana...
Quantas crianças a morrer
Naquela região insana;

Falta a tal educação
Pois querem o povo burro...
Se arrastando pelo chão
Sem dar sequer um sussurro;

O dinheiro pelo ralo
Com estádios luxuosos...
Só serve para o regalo
Da classe dos tenebrosos;

Brasil, mostra tua cara...
Derruba tais governantes...
E que se faça na marra
Com tal legião de farsantes;


segunda-feira, 14 de julho de 2014

PIADA MUNDIAL

Sete foi muito pouco...
Acho que tiveram pena...
O povo ficou bem louco...
Humilhação que condena;

Pareciam umas donzelas
Bailando dentro do campo...
Muito hotel cinco estrelas
E o povo faltando trampo;

Felipão cabeça dura...
Jogadores sem vontade...
Cavaram a sepultura
De um povo em desigualdade;

Só lavagem de dinheiro...
É um jogo entre empresários...
Esporte tão derradeiro
Fazendo tais milionários;

Para abrirem as perninhas
Devem ter vendido a copa...
Seleção de mariquinhas
Que o povo ainda vê e topa;

Ó seleção brasileira...
Que a crítica se derrame...
E ela é da nação inteira...
Parabéns pelo vexame;

segunda-feira, 7 de julho de 2014

MÚSICA CLÁSSICA

Partituras lapidadas
Pelas mentes imortais...
Nossas almas transformadas
Flutuam pelos céus reais;

Acordes mais que vibrantes...
São os regeneradores
Celulares fascinantes
Que harmonizam nossas dores;

Compostas com tal maestria
Para despertar nós todos...
Humanos em nostalgia
Escravizados nos lodos;

Elas nos dão a leveza...
Nos transportam a outros planos...
Sempre envoltas na beleza
Das notas doces dos pianos;                                                    

segunda-feira, 30 de junho de 2014

MEDO

Sentir medo atrai mais medo...
Faz baixar a vibração...
Te mantém preso em segredo
Com as chaves da prisão;

Quantos tem medo da morte...
Ou será da própria vida...
Quando esta sofre algum corte
Dói mais que uma ferida;

Os que temem um assalto
São justamente assaltados...
Dentro de casa ou no asfalto...
Pensamentos conectados;

Os medos são os teus filhos...
Vivem do teu pensamento...
Tirando você dos trilhos...
Matando cada momento;

Se continuar assim
Sentindo medo de tudo...
Vais presenciar o teu fim
Dentro de um quartinho mudo;                                               

segunda-feira, 23 de junho de 2014

ZUMBIS

A matrix chamada terra
Sabe bem moldar zumbis...
Faz tantos quererem guerra
E ficar pedindo bis;

Nas ruas pessoas vazias
Caminham sem direção...
Buscando por alegrias
Que não sente o coração;

Não querem carne humana...
Querem só tecnologia;
Pobre geração insana
A correr desta poesia;

Vamos lá pessoal, em fila
Para ganharem o chip...
Não querem vida tranqüila
Como a daquele astro vip!...

Zumbilândia moderna...
E não querem despertar...
Rastejam com uma perna
Brincando no celular;

segunda-feira, 16 de junho de 2014

CONSCIÊNCIA

Só a expansão de consciência
Pode colocar um fim...
Em cada ato de violência
Que faz o mundo ruim;

Ainda hoje as limitações
Assumem o seu papel...
Derrubando corações
Como torres de babel;

São fáceis de controlar...
Parecem uns robozinhos...
Basta o botão apertar
Que eles fecham os olhinhos;

Assim como o celular
Podem bem estar chipados...
Ou não querem acordar
E serem reprogramados;                                                         

segunda-feira, 9 de junho de 2014

PLANETA TERRA

Você está preparado
Para ir ao planeta terra!...
Só não vá ficar chocado
Com uma ou com outra guerra;

Assinamos uma carta
Assumindo compromissos...
Antes fosse para Agartha
Bem longe de tantos omissos;

Você já nasce apanhando...
Um tapinha de boas vindas;
Precisa ir se acostumando
Com as lágrimas infindas;

Nesta escola tem de tudo...
Estupradores, bandidos...
Corpo enterrado e desnudo
Em buracos escondidos;

Criancinhas desaparecem
Para alimentar rituais;
Sacrifícios acontecem
Pelo sangue de mortais;

Uma bala bem na testa...
Um roubo de carro diário;
Para muitos é festa
Neste planeta primário;

Alguns esperam Jesus...
Se eu fosse ele não voltava...
Vai terminar numa cruz
Como quando aqui pregava;