LAPIDANDO VERSOS

Home Quem escreve Meus livros Contato

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

CAVEIRA DE UM POETA

Cinzas da carne reduzida... a pó...
Larva cósmica da podre... substância...
Resíduos do corpo suicida... e só
Na putrefação nobre... e na ânsia

Vermicular desconhecida... dos platelmintos sem dó...
Se fartando até que nada sobre... da superabundância
Da minha carne contorcida... como o nó
Da gravata que cobre... meu pescoço com elegância;

Dentro do caixão o crânio... vazio...
Os olhos arrancados... sem piedade
E o terno preto em estado final... de decomposição;

Dentro dele um osso de titânio... sombrio...
E ventos gelados... em liberdade
Percorrendo minha caveira ao natural... na escuridão;

49 comentários:

Ritinha disse...

Bom dia amigo, tudo bem com você?
Cheguei e me deparei com meu amigo poeta um tanto macabro...
O que terá acontecido? ou Simplesmente a inspiração do momento? Espero que só um repente passageiro.
Prefiro você mais audacioso, desejoso, romantico, voraz na sedução.
bjs e excelente semana
Ritinha

Cidália Ferreira disse...

Bom dia

Uffa amigo Samuel, começar a semana com uma coisa de "terror" não calha nada bem... loooooool
Eu não quero morrer!!! kkkkkkkk
Você se diverte né???

Tem uma boa semana

Beijo
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Marcos Satoru Kawanami disse...

Samuel,

Notei uma mudança métrica radical no segundo quarteto, que dá um rompante lírico cujo efeito gostei. E o osso de titânio foi um achado.

fraterno abraço
Marcos

Cidália Ferreira disse...

Amigo o meu poste não quer sair, lol

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/2013/10/teu-regresso.html#comment-form

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Bom dia amigo Samuel,gostaria de vê-lo escrevendo palavas lindas como você poeta o faz tão bem.A caveira de um poeta,para um livro de terror está magnífica,mas para um soneto,sou sincera eu não aprovo.rsrs
Poetas,fazem as estrelas sorrirem e a lua quem sabe chorar,não gostam de verem tristezas e lágrimas à rolarem.
Mas vou dar-lhe nota 10 pois sei que você é um grande poeta e sabe delinear palavras doces em seu poetar.

bjs amigo
Carmen Lúcia-mamymilu

Rute disse...

Bom dia Samuel , sombrio demais....rsrs
Beijos de bom dia

Fernanda Bender disse...

Bom dia!
Poesia mórbida para começar a segundona... é uma realidade que fica um tanto interessante ao ser colocada em poesia.

Patrícia Pinna disse...

Bom dia, querido Samuel. Ainda bem que o nosso corpo celestial não se decompõe, que bom, pois essa visão pintada pelo poeta, no mínimo é dantesca.
Estou tomando café, rs.
Beijos, amado.

Obs: O meu irmão viu a sua foto no face quando fiz o convite e dediquei-lhe umas palavras. Comentou dizendo que você parece o Lobão, rs.

Tenha um dia abençoado de paz!

Lívia Apetitto disse...

E assim um tanto de nós
por aqui se deixa,
mas que sem queixa pela
partida que no tempo satisfaz
e vamos ao céu que lá tem mais...

Sempre muito bom os teus poemas
e esse está forte demais...

Beijinhos

Livinha

Bell disse...

Bom dia

Me deixou com medo rs...
Prefiro a doçura dos poemas e sonetos romancistas kkkk

tenha um lindo dia =)

Daniel Andre disse...

Bom dia amigo.

Bem diferente dos sonetos que esta acostumado a fazer, mais esse está ótimo também. Gostei muito. Parabéns sempre! Tenha uma ótima semana.

Dan.

Anônimo disse...

Parabéns pelo soneto a linda morena.
Abraço
Raphael

Anônimo disse...

Que soneto lindo Samuel, parabéns !
Vou contar pra sua mãe que estás oferecendo soneto, kkkk
Brincadeira . parabéns pelo seu lindo trabalho
Bjs Sophia

Samuel Balbinot disse...

Bom dia e um Buuuuuu pra todos.. quem se diverte sou eu lendo os comentarios.. tanto querem coisas de amor mas não resistem a dar uma espiada né srs é só pra contrabalançar um pouco

Vall Nunnes disse...

Quando a poesia é boa não importa se fala de vida ou de decomposição, nosso estado final no mundo material.
O poeta se destaca escrevendo versos de todos os assunto. E no meu ver, ficou maravilhosoooo!
Todos sabemos que um dia seremos nada mais que pó, mas preferem acreditar que serão eternamente lindos, elogiados, desejados... evitam falar de nossa finitude e podridão.
Abraços

Dorli disse...

Oi Samuel
"Mama mia", essa foi de arrepiar.
Meu almoço está na mesa e nada me faz perder o apetite
Beijos
Lua Singular

Marlene disse...

Samuel estou vindo do blog da minha amiga Severa Cabral
fiquei encantada com o poema que encontrei por lá mas este aqui me deixou arrepiada é a unica coisa que ainda não consigo me acostumar na morte é a decomposição,achei seu blog lindo um abraço marlene

Laura Santos disse...

Um antes corpo belo e pujante destinado à decadência, um simples cadáver adiado que procria" outros cadáveres adiados.
" E se um dia hei de ser pó, cinza e nada, que seja a minha noite uma alvorada, que me faça perder, para me encontrar", porque os vermes esperam por nós.
Tudo pode ser exposto poeticamente; a alegria, a tristeza, a felicidade, a dor...tudo o que tenha a ver com a nossa condição.
Gostei Samuel! ;-)
xx

Vera Lúcia disse...

rsrsrsrs...
Que cenário horrendo! - rsrsrs
Um foco difícil para versar, mas você se saiu muito bem.

"...como o nó
Da gravata que cobre... meu pescoço com elegância;..."

Detalhe que emprestou certo humor ao soneto, pois de que vale a elegância neste momento? rsrs

Adorei, Samuel.

Ótimo dia para você.

Abraço.

Kaka Stelê disse...

Oi Samuel =) bem ninguém precisou fazer a sua caveira,você mesmo a fez..rsrsrs

Beijoos
Estrela,Flores...Melancia

Nal Pontes disse...

Oi Samuel cheguei aqui através do blog da Patricia Pinna, amei o encanto de poesia lá. Aqui o encontro um tanto sombrio, mesmo assustada rsrsrs seguindo aqui. Te desejo um dia radiante cheio de brilhos traduzidas dos versos de lá. Abraços.

Claudinha ੴ disse...

Olha só... Me lembrou aquela floresta do Japão onde os suicidas dão fim à vida...
Muito bom!

Guilherme Oliani disse...

Muito bom!! Meus parabéns.

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Oi amigo Samuel,o soneto já encontra-se no blog,só que não quer sair aos amigos.Não sei o que está acontecendo com o blog,que demora de 2 a três horas para publicar aos amigos.
Obrigada pela homenagem eu adorei.
bjs
Carmen Lúcia-mamymilu

Aline Teles disse...

Aparentemente assustador, mas de uma profundidade incrível. Cada verso uma sensibilidade exposta com maestria. Parabéns! Desculpa a demora, mas andei com problemas de saúde. Beijinhos.

Camila disse...

Eu adoro poesia!!
Achei um tom sombrio, mas muito poético. Essa é uma das graças da poesia ne? *-*

*** ZIZI *** PARA OS AMIGOS!!! ### disse...

Nossa me imaginei nesta situação toda rsrsrs. Ainda bem que é apenas o corpo físico.
Beijinhos seu terrorista...

Nádia Santos disse...

Querido, hoje estou tão pra baixo que preferi não lê seu soneto. Deixo apenas meu beijo pra ti.

Clau disse...

Olá Samuel,boa noite \o/
Não importa se o tom da obra é sombrio,tristonho,alegre,sentimental,etc,
vc tem intimidade com as palavras e escreve lindamente!
Bjs :)

Nal Pontes disse...

Rsrsrsrs... Eu sei que sim, me assustei!!! brincadeirinha. Samuel bem-vindo no meu cantinho, amei teu sorriso. Um abração.

Adriana Helena disse...

Olá Samuel, boa noite!
Você ainda não me conhece, mas vamos resolver isso rápido!
Cheguei aqui por indicação da poetisa Patrícia Pina em um belo soneto que dedicou a ela! O soneto estava magnífico e captou as lindas qualidades e suavidade da Patrícia! Parabéns!

O seu trabalho de hoje também é ótimo, apesar de ser um tanto sombrio! Não sei se você sempre se inspira em momentos mais lúgubres, mas vou adorar saber se também tem momentos felizes em suas demais obras!

Prazer em conhecê-lo!
Sou Adriana.
Abraços e uma excelente semana!

Simone MartinS2 disse...

"...e, foi com arrepios carmicos,
que te li e compreendi.
Ser poeta, vai além de ser gente...
É ser espirito livre, fugidio, desconexo...
Ser podre, mas ser verdadeiro...
Cheirar a enxofre, quando cremado por inteiro.
Llimpar com as cinzas do teu corpo,
em estado de decomposição e, ver renascer
como uma Fênix em pleno estado de comoção!"

Adoro interagir e, hoje fiquei estarrecida com o que
li, mas e isso que gosto em ti...diversidades nas suas
rimas, em seus versos, prosas e musicas...belos sonetos!
Beijos

Cristal de uma mulher disse...

Uma verdade abundante..somo pó e cinza..

Vc faz acontecer meu lindo...

Beijinho

Mariazita Azevedo disse...

Bom dia, Samuel
Tenho visto você "por aí" (ontem e hoje já "tropecei" duas vezes...), e sentia vontade de vir conhecer seu espaço.
Talvez não tenha escolhido bem o dia na medida em que este poema não é dos mais agradáveis :), mas consolei-me lendo os anteriormente publicados.
Dei uma olhada nos comentários anteriores e parece-me que a minha opinião não está isolada. Contudo, devo dizer-lhe que penso que um autor (seja poeta ou de qualquer outro estilo) deve diversificar. Quando se "bate sempre na mesma tecla" corre-se o risco de ser monótono :)
Parabéns, o poema está perfeito - apesar do tema mórbido:)))

Vou me fazer sua seguidora para não lhe perder o rumo.
Se quiser visitar-me será muito bem recebido - pelo menos com um abraço.
Boa semana.
Beijinhos
Mariazita
(Link para o meu blog principal)

Ritinha disse...

Ah!!!! entendi... é tão bom quando descobrimos parte da essência do escritor, do poeta e suas inspirações.
Bom demais que tenha me contado. Adorei saber. E assim vamos em frente... Inspire-se!
Beijos
Volto logo, gosto de vir aqui sempre.
bjs
ritinha

Ana Bailune disse...

Olá, Samuel. Uau! Bem diferente do que costumo ler aqui. Ficou muito bom!

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Olá Samuel, vim conhecer seu espaço através do blog da amiga Severa.Adorei o soneto que dedicou a ela. Merecedora de muitos. Seu blog é imensamente interessante. Grande sonetos. Grande abraço!

Tallita Monteiro disse...

Nossa. acho que o espírito halloween já chegou neste blog...rsrsr
Um pouco assustador, porém super intenso em cada palavra!
Parabéns, sempre nos proporcionando um show de palavras.
bjss

Bandys disse...

uauu cadaverico!! hahaha
É bom pra dar uma variada,

Beijos e um dia cheio de paz

Rita disse...

Que coisa cadavérica heimm medoooo
Brincadeira meu fofo gostei.........

Mas vim aqui te dizer que..............
Já está pronto meu post sobre o Soneto, que amei de paixão, vou colocar no sábado, vc nem imagina minha alegria ..até chorei de emoção viu mas agradeço pelo seu carinho......fiz um post bem bonito ....que Deus continue te abençoando a cada minuto da sua vida, vc já mora bem aqui oh,,,,,,,no meu coração bjusss de muita gratidão

└──●► *Rita!!

MARILENE disse...

Por todos os caminhos passam os poetas. E esse, embora o chamem mórbido,, é apenas mais um deles. Apodrece o corpo enquanto a alma, liberta, sorri. Bjs.

Jussara Neves Rezende disse...

O soneto é a forma perfeita por excelência. Adorei descobrir aqui um sonetista e, nestes versos, uma atmosfera à Augusto dos Anjos :)
Abraço!

Natalia Scholze disse...

Apesar de ser sombrio, mandou muito bem nas palavras! Podemos escolher temas sombrios e transformar em um conjunto magníficos de palavras.
Abraços, ótima noite!
Nati,
http://nataliascholze.blogspot.com.br/

Lu Nogfer disse...

Já me acostumei. Não me assusto com essa tua inspiração macabra! É só a realidade poética, né?rs

Beijo!

Rafaela Senna disse...

Você desenhou uma imagem, uma fotografia, se fecharmos os olhos nos deixamos levar pela leitura! muito bom Samuel! grande abraço!

Augusto Sperchi disse...

Oi Sam! Audacioso e simples pó, tétrico e sublime, vivo e cadavérico, visão de dentro do esquife e da amplidão do infinito nada. Tudo? Curvo-me, poeta!

☆Lu Cavichioli disse...

MEEEEDO!
Vão-se os poetas mas ficam as poesias eternizadas na imagem fina, colorida em toda sua essência daquele "fazedor" de versos que um dia escreveu sua história.

Arrepiante, mórbido, porém real.
bacios poeta querido

Tainara Macedo disse...

Simplesmente magnífico!


www.tainaramacedo.com

Tais Luso disse...

Parece que hoje os poemas mais impactantes me atraem!!! Olha onde vim parar! Sensacional.
Beijo, querido amigo.