1 1
Home Quem escreve Meus livros Contato

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

MOMENTOS MÁGICOS

Segure firme querido...
A mamãe vai balançar
O balanço divertido
A flutuar aqui no ar;

Pode fechar os olhinhos...
Sinta o vento te tocar
Ouvindo dos passarinhos
O doce cantarolar;

Sinta os perfumes no rosto
Das plantas ao teu redor...
Todas te olham com um gosto
Tão adocicado amor;

Elas te sorriem tanto...
Mesmo que tu não às veja;
Em cada riso um só canto
Do amor delas que te beija;

Sempre lembre do balanço
E como a vida era vida...
Neste poema que de manso
Veste tua alma rendida;


46 comentários:

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Lindo Samuel,lembranças que jamais esqueceremos dos bons tempos de criança.
bjs um ótimo inicio de semana.
Carmen Lúcia.

Ivone disse...

Bom dia amigo Samuel, lindo e angelical esse seu poema, fala da beleza do amor maternal!
Amei ler!Momentos mágicos mesmo!
Abraços apertados!

Bell disse...

Lindo e fofo esse poema, dá até paz em ler.

um lindo dia pra vc =)

Roselia Bezerra disse...

Olá, Samuel
Oba! mas um pra coleção dos lindos que gosto de ler no seu blog...
Gostei de ter posto um pra mamãe pois pais quase não tem tempo de levar meninos ao balaço...rs...
Vou aguardar o e-mail...rs...
Bjs fraternais

Bruxa disse...

Bom dia Samuel!
Esse poema nos leva de volta à infância. Lembro de meu pai me balançando no parque onde eu pedia pra ir cada vez mais alto, mas ele tinha medo de empurrar tanto rs. Era uma delícia! Nossa... que nostalgia!
Belíssimos versos.

E a colheita? Fizeram?
Que sua semana seja maravilhosa.
Abração.

JAIRCLOPES disse...

Acróstico

Mas não é essa infância infinita,
Onde as flores são tão coloridas
Momentos nos quais se acredita
Eternamente de bem com a vida?

Nada indica àquela doce criança
Ter um fim sua infância perfeita
Ou que exista um mal que lança
Sobre seu futuro dolorosa receita.

Melhor, momento mágico aceitar
Átimo que uma vida irá construir
Gozando desse viver tão peculiar
Indiferente de como será o devir.

Começo bom não há que negar
Ocasiona melhor vida no porvir
Sem que jamais esqueça seu lar.

Laura Santos disse...

Muito lindo, Samuel!
Depois do pai a comandar o balanço faltava a mãe a ver o seu filho a voar.
Boa semana!
xx

Carol Russo S disse...

Samuel uma curiosidade, por que de uns tempos pra cá você tem feito poemas tão delicados, que remetem a relação entre mãe e filho?
Uma doçura, como os anteriores...

Rute disse...

Que lindo Samuel, como sempre. Beijos, boa semana

Kaka Stelê disse...

Gosto tanto de sonetos assim, transbordando carinhos :) Lindo lindo!!!

Samuel eu sei que você não liga muito para o Facebook mas mesmo assim te convido a conhecer a página do blog:
Estrela,Flores...Melancia no Facebook
Passe por lá dar uma olhadinha, você e todos que por aqui passar estão super convidados :)

Grande beijo querido poeta!

Augusto Sperchi disse...

E aí, Sam? Como está?
Eita, que sempre nos encanta com seus versos. A vida é mesmo um balanço e quem se esquece dele acaba se surpreendendo e as surpresas nem sempre são boas!
Abraço!

Cidália Ferreira disse...

Boa tarde Samuel
Um poema doce e terno. muito amoroso.. Amei

tenha um dia feliz

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Coluna da Mi disse...

Boa tarde poeta das asas douradas.
Minha dúvida é a mesma da Carol Russo, por que poemas tão delicados.
Sentindo falta do teu lado sombrio.
Beijos e boa semana poeta. :)

Vera Lúcia disse...

Olá querido Samuel,

Fiquei aqui pensando se não dá trabalho fazer rimas tão perfeitas. Creio que você é o rei das rimas.
O poema é lindo demais. Traz doçura nos versos e retrata mesmo momentos de grande magia.
Parabéns pela encantadora inspiração.

Feliz semana.

Beijo.

Hellen Hosseini disse...

Poema exato para sentir uma infinita saudade da infância.
Crescer requer coragem, e muita poesia.
Como as suas!

Boa semana, guri.

Clau disse...

Oi Samuel, boa tarde!
Lembrei da minha infância,
eu sempre gostei de balanço!
São momentos realmente mágicos,
que guardamos com muito carinho.
Sempre um prazer passar por aqui \o/
Bjs!

Bárbara disse...

Bom dia Samuel
Angústia é um sofrimento dolorido, por isso vivo um dia de cada vez.
Beijos
Bárbara

Smareis disse...

O Samuel, querido amigo!
Boa noite!
Belo, encantador esses versos.
Quantas lembranças me passaram por aqui. Seus versos tem cheirinho de infância, de vida, de sonhos, de amores. Lembrei-me de uma frase que diz: “A vida é mais ou menos como um balanço, algumas vezes perto do céu, outras, bem próximo do chão... Mas nunca no céu e nem no chão. Você sempre estará em uma situação onde poderá subir ou descer, só depende da força de vontade que você usa para isso.”.
Amando o livro. Um primor. Estou pensando numas (coiSitas) depois te escrevo.

Adorei te ver , obrigada pela presença. Feliz!☺
Deixo um punhado de coisas boas.
Ótima semana!
Beijos amigo querido!

Vitor Costa disse...

Eu sempre gosto de ler teus poemas porque você sempre desperta em mim uma expectativa para saber como você vai encerrar cada verso e cada estrofe de modo a rimar perfeitamente, não é fácil garimpar as palavras para que soem belas e tenham sentido... E esse seu poema não foge a regra, impecável e nostálgico.

Estou trabalhando em um poema que tenha métricas e rimas como as que você usa, vamos ver o que vai dar kkk

Abraço

Aline Teles disse...

Simplesmente lindo. São esses pequenos momentos que fazem a vida ser tão especial. Acabei lembrando muito da minha infância. Uma nostálgica gostosa. Tu escreves lindamente bem, amigo. Beijinhos.

Bandys disse...

Ahh Samuel, lindo poema.
Esses momentos são tão magicos
e tão importantes. É muito especial mesmo.
E voce eternizou lindamente aqui nesse espaço
que sempre faz bem para os olhos e para a alma.Beijos. Uma semana de paz e luz

Célia Rangel disse...

Samuel!
Um lindo e ternurizante poema que embala a magia da criança em nós, que não perdeu as lembranças queridas, de uma infância que ficou logo ali, e prossegue conosco energizando nosso viver.
Abraço.

Dani disse...

São esses momentos da infância feliz que devem ser eternizados.

Beijos

Miguel disse...

Bom dia, Samuel
Não tenho filhos :((( mas tenho muitos amigos com filhos (que agora já não são crianças...) e lembro-me deste deste "balanço".
Senti-me também eu a balançar ao ritmo do teu lindo poema.

Tudo de bom para ti, caro e saudoso amigo.
Um abraço
Miguel

LUCONI MARCIA MARIA disse...

Nossa estes poemas me emocionam, como o anterior, belo, singelo e puro, parabéns, bjos Luconi

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Olá Samuel, amigo querido ,com certeza minha alma se rendeu ao seu poema.Fez-me voltar ao colo de minha querida mãe. Lembrei do tempo de balanço e canto para dormir.Belíssimo. Estou tentando colocar em dia minhas visitas, pois estou com um pequeno problema de saúde. Grande beijo!

Donetzka Cercck L. Alvarez disse...

Que lindo,querido amigo Samuel. E me recordou minha mãe .Tão doce poema e sensível,como você.

Sempre se superando e criando essas pérolas!

Obrigada pelas visitas,meu anjo.

Beijos e uma semana de alegrias

Donetzka

Face Book:

https://www.facebook.com/donetzka.cercck

Twitter: @donetzka13

Instagram: @donetzka


http://instagram.com/donetzka

Flickr(Minha galeria de imagens):

https://www.flickr.com/photos/123498631@N06/

Youtube (Meu canal):

http://www.youtube.com/channel/UCnVpBs2C-vL6fd1BaRH3lrA/about


Blog Magia de Donetzka





Joselia Micael disse...

Boa noite meu amigo!
Mais um lindíssimo poema...muitos parabéns...!
É sempre um prazer ler a sua bela poesia!...
Quero também agradecer-lhe as suas palavras de conforto, que por várias vezes tem deixado naquele cantinho que criei só para mandar flores a o meu querido filhinho que já partiu para a casa do Pai...Meu amigo, eu não sei a sua idade... mas penso muitas vezes que poderá ser mais ou menos da idade de meu filhinho...que fazia no dia quinze de Dezembro, quarenta anos.Há treze que partiu, de morte súbita, tinha então, vinte e seis anos, a minha dor ficou no meu coração para sempre. Peço desculpa por este meu desabafo!!! Desejo do fundo do meu coração, que seja muito feliz!... Um beijo fraternal...fique com Cristo Jesus.

Marina Scholze disse...

Lindo poema, adorei! Tempos de criança <3 Natureza <3
Beijos
http://omundode-marina.blogspot.com.br/

Maria Adeladia disse...

SAMUEL:Que lindo o poema!Com certeza, meu querido, a infância é um momento mágico!E único!Gostei demais.Beijos e uma boa semana.

Adriana Helena disse...

Olá Samuel, como vai, tudo bem?
Quanto tempo não é? Eu estava mesmo dando um tempinho para descansar a mente!
Mas a gente sempre volta para visitar os amigos queridos não é? :))))

Adorei os versos, as rimas, o tema!
Gosto muito da delicadeza e da sutileza que sempre acompanha tudo o que escreve!
Você sempre se propõe a fazer algo grandioso, não importa o assunto, pois em todos se destaca! Isso é um dom divino, parabéns!

Aproveito par deixar desejos de uma ótima semana para você e toda a sua família!!
Beijos!!

Bárbara disse...

Boa noite Samuel
Uma linda noite
Abç
Bárbara

Just me disse...

Quanta poesia podemos encontrar em ver uma criança se balançar. quando somos pequenos nós satisfazemos com pouco e tudo q é novo é divertido. O voar do balanço é fantástico para os pequenos.
Linda sua poesia como sempre e espero q seu livro saia do seu jeitinho!
Bjs

http://achadosdamila.blogspot.com.br

vendedor de ilusão disse...

Olá, amigo! Passei para me deliciar com as tua criações; encanta-me ler teus poemas...

Elyane Lacerdda disse...

Que lindo,amigo poeta!
Gosto de sua delicadeza nos poemas, sempre muito elegantes!
Bjus e boa quinta querido!
http://www.elianedelacerda.com

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Lindíssimo, Samuel!
Beijos*

NLC POESIAS disse...

Que lindo!! adorei esses teus versos infantis Samuel, levando-nos ao encantado mundo da criança. Parabéns querido, bjs

Nádia Santos disse...

Lindo e cheio de ternura meu querido. Bjinhos

Simone Lima disse...

De manso tbm, você consegue ir lá no fundo da nossa alma, puxando pela nostalgia.
Lindo, Samuel.

Beijoo'o
flores-na-cabeca.blogspot.com

Bia Hain disse...

Tudo parecia tão mais fácil no balançar da infância... talvez resgatar essa lembrança reavive a leveza da vida. Um abraço, Samuel, linda semana!

Aline Thompson disse...

Amei, Samuel!
No post anterior, comentei que me fez lembrar de um balanço que tem na casa da minha avó, que eu adorava!
Este me remete ainda mais à lembrança da infância lá! Vou te mandar pelo e-mail uma foto dele! Tem árvores, verde, passarinhos... Bem como no poema! ^^
...beijinhos***

Bárbara disse...

Boa tarde Samuel
Bom resto de domingo
Abç
Bárbara

Claudinha ੴ disse...

Que os filhos sempre se lembrem de momentos como este! Belo poema!
Abraços!

Fábio Murilo disse...

Como diz uma antiga canção: "Eu era feliz e não sabia".

Paloma Viricio disse...

Samuca....lindas palavras. Emociona tanto quem já foi embalado como que embalou. Acho que mamãe estão chorando lembrando dos filhos pequeninos e os filhos do aconchego das mamães.
Beijos!
Monólogo de Julieta

Tais Luso disse...

Olá, querido Samuel, você percebeu que crescemos e o balanço continua a ser algo encantado? Avistamos um balanço de longe e de repente ele está pertinho para nos embalar! Nossa relação com balanços é misteriosa, nos reporta sempre à infância, à alegria e carinho. Doces lembranças.
Beijos, amiga, uma linda semana!
Até!