LAPIDANDO VERSOS

Home Quem escreve Meus livros Contato

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

O ESPÍRITO NÃO MORRE

Morre o cérebro, o coração
E cada músculo em movimento;
Gela o sangue em circulação...
E se apaga a chama do sentimento;

Morre a fala, a visão...
A mente e cada pensamento...
Juntos com o amor e a paixão
E os doces minutos dum momento;

Morre a esperança de um amanhã
Ver o rio silencioso que corre
Ao som melodioso de um rouxinol;

Morre tudo no afã!
Só o espírito não morre...
Este vai em direção ao sol...                                                    

48 comentários:

Ivone disse...

Bom dia amigo poeta querido, Samuel!
Belos versos lembrando que a Vida é o Espírito Imortal, se não fosse assim, nem valeria vir aqui ocupando um corpo material, viver no máximo uns oitenta anos e morrer acabando tudo de vez, né mesmo?
Por isso acredito em reencarnação, se não dá para fazer tudo em uma só, temos a chance de voltar quantas vezes for preciso!
Abraços e boa semana!

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Eu creio muito nisso amigo Samuel,pois acredito em reencarnação.
bjs-Carmen Lúcia.

Arca de Rabiscos disse...

O espírito segue eterno, em constante evolução. Lindo teu poema, Samuca!!
E parou de chover!! Amanheceu com sol afinal... coisa mais boa, né?? Espero que a chuva siga para os Estados que estão precisando.
Beijos!!

brisonmattos disse...

Bonito isso

Nádia Santos disse...

Sim, eu creio meu querido. Bjus doces e linda semana.

Bell disse...

Bom dia Samuca

Morre o físico, mas o espiritual permanece.
E o ser humano tem tanto medo da morte.
Um lindo dia pra vc =)

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

O espírito nunca morre. Versos muito belos.
Beijos e bom dia,
Renata

Bruxa disse...

O espírito é eterno, por isso merece cuidados e alimento.

Ontem choveu um pouco à noite, mas precisamos de mais água. Achei que o sul nos mandaria muito mais... torcida geral aqui.

Abração e linda semana.

Cidália Ferreira disse...

Boa tarde Samuel
Uffa... Será? dizem que sim, que o espirito não morre...mas.... Gostei muito da tua inspiração.

Tem um dia feliz
beijos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Vall Nunnes disse...

Bom dia Samuel, a morte dos sentidos muito bem descrita neste soneto.
Já tive medo do depois de fechar os olhos para sempre, hoje sei que é consequência desse corpo físico limitado. Temos prazo de validade e pronto.
Até sempre!

Nelma Ladeira disse...

Lindo Samuel! Com certeza tudo morre!! Mas o espírito estará sempre vivo! Beijinhos.

Mariangela disse...

Lindos versoas amigo! Tudo se acaba...só a alma permanece!
Beijos e uma ótima semana!
Mariangela

Clau disse...

Oi Samuel :)
O espírito não morre...nunca morrerá.
essa metáfora que ele vai em direção ao sol,
traz um acalento.
Bjs e parabéns pelo dia do poeta \o/

Vera Lúcia disse...

Que soneto mais lindo, meu amigo.
Belíssima inspiração.
Por isso devemos priorizar os cuidados com a alma, pois essa, sim, é imortal. E tomara nosso espírito vá diretamente em direção ao sol. Façamos por merecer.

Beijo.

Edith Lobato disse...

Encantador teu soneto. Já li outros poemas teus e me encantei. Feliz semana.

Fábio Murilo disse...

Bonito e melodioso, bem construído. Com sempre arrasando nos sonetos. Abraços, Samuel.

Soneto de Emoções disse...

Que achado...
Morre tudo para voltar a viver?
Muito bom
Bárbara

Daniel Andre disse...

Bom dia amigo Samuca!
Agradeço-te pelo email e já estou colocando em prática os áudios. Após um longo período afastado dos blogues e da vida virtual por diversas razões, aos poucos estou voltando. Tudo na vida é transitório não é amigo ? Um dia iremos partir, mas o espírito fica, e por isso devemos alimenta-lo com sentimentos sadios e palavras edificadoras.

Parabéns sempre,
Abraços,
Dan
http://gagopoetico.blogspot.com.br/

Aline disse...

Oi Samuel,boa tarde!
Estou passando para matar a saudade dos seus versos,como sempre lindos!

Beijos!

Dilly Monnete disse...

Eu diria que vai em direção às estrelas <3
Do pó viemos, ao pó voltaremos, não é o que dizem?

Adorei o layout do blog. Senti falta de ti, poeta. Dos amigos do blog, de modo geral. Precisei estar só durante um tempo. Mas é ótimo estar de volta (:

Abraços!

Evanir disse...

Hoje estou passando somente para matar as saudades,
e marcar minha presença.
Sem duvidas levo no coração sua postagem.
Só assim valerá a pena minha presença aqui.
Um feliz continuar de semana .
Beijos..Evanir.
Quantas saudades!

Sayuri Okamoto disse...

o espírito permanece sempre vivo e atento ao destino feliz ♥

beijos beijos ♥

Malu Silva disse...

E se o espírito não morre a chama de um novo amanhecer cheio de esperanças estará sempre VIVA!!!
Bom dia, meu amigo!

Sissym Mascarenhas disse...

O meu é muito antigo, espero que possa voltar mais vezes, acho que tenho muito o que aprimorar.

Bjs

Aline Thompson disse...

Oi, Samuel!
Ainda sobre o King... Li sobre isso da esposa que resgatou os escritos do lixo... Não se foram 300 editoras... Mas teve esse episódio dos rascunhos jogados no lixo e resgatados pela esposa... e era justamente o rascunho da Carrie... Enfim!
Obrigada pela paciência de ler minha longa história da "menina que curava", e o comentário!
Gostei muito do comentário! Eu tentei "criar uma história legal"... Eu tenho uma "brisa" que essas histórias que andei criando, aconteceram de verdade em algum "outro mundo", e eu, de alguma forma, fiquei sabendo e contei...
Sobre a história de hoje, do vitrô... Eu tendo a acreditar em toda essa coisa... Afinal "o espírito nunca morre"... Acho que a vontade de saber que não seremos totalmente "apagados"... que mesmo que morra o corpo e etc., ainda restará o espírito... faz as pessoas gostarem e se sentirem fascinadas pelas "histórias de fantasmas"...
nem sempre vão logo "em direção ao sol", às vezes "assombram um pouquinho antes de irem" xD... Gostei muito do poema... Eu admiro muito isso de conseguir expressar algo e ao mesmo tempo fazer as rimas tão organizadas nas frases... Acho que eu nunca vou conseguir escrever um!
Seu poema me remete a muitas coisas em que vivo "matutando"... Acho que você fala sobre o "tudo passa", sobre as sucessivas renuncias e desprendimentos até que só resta um único desejo ao espírito, que é a reintegração ao todo.
Ah, eu vi o vídeo, que você me mandou pelo e-mail... dos mandamentos e da pedra da Gávea... Quando vi "2h" eu pensei "Nuss, é grandinho", mas fui assistir e as horas passaram rápido! É muito interessante! Quando acabou pensei "=/ Que pena que acabou!"... Também li o pdf da pedra... e ainda vou arrumar tempo de ler tudo que chegou pelo e-mail... Gostei da terra oca e também é muito interessante o rei do mundo.
Ah²! Voltando lá naqueles filmes do King de novo... naquele dia me esqueci de citar o "Fenda no tempo" (Langoliers)
Muito obrigada por estar sempre lá no meu blog!
...beijinhos***

Adriana Helena disse...

Olá Samuel, como vai poeta?

Antes de tudo venho parabenizá-lo pelo dia do poeta, comemorado no último dia 20 de outubro...Nesta data, estava impossibilitada de cumprimentar todos os poetas e poetisas
por impossibilidade técnica..rsrs

Mas agora que tudo normalizou, venho parabenizá-lo e também agradecer por sempre nos emocionar com seus lindos versos! A história de amor, entre o poeta e as palavras, é que gera toda essa beleza cativante... E tudo em forma de versos! PARABÉNS!!

Sabe, ainda bem que o espírito nunca morre e por isso adoro alimentá-lo de energia positiva e de luz, pois sei que o corpo vai, mais espírito fica! E se possível, alimentemos o nosso espírito só com coisas bonitas para que ele vá em direção ao sol, como poeticamente compôs e que busque a luz !!

Um grande beijo querido e que sua vida seja sempre repleta de muita luz, muita energia linda! Feliz e reconfortante semana! :))

allmylife disse...

Um resumo perfeito do que penso sobre a morte! =)

Rute disse...

Sim concordo, o espirito nunca morre!
Beijos meu querido Samuel

serra de alencar, gabriela disse...

A poesia não morre! Tua espiritualidade transcende através dela. É o nosso Sol! Deixo aqui minha gratidão por ter contato com teus versos cheios de luz.

Hellen Hosseini disse...

Que beleza...
Soneto bem escrito... Nos põe a pensar bastante na desesperança. Na vida que poderia ter sido senão fosse isso ou aquilo.

NLC POESIAS disse...

Lindos e reflexivos versos querido Samuel, adorei, bjs

LUCONI MARCIA MARIA disse...

Que forma bela de expressar a sua fé na existencia da nossa verdadeira pátria, a pátria espiritual, Amigo, estou num corre corre danado, nem imagina, dois nenês e um terceiro pra chegar daqui um mês, por isto te peço desculpas pela demorar em visitar tua linda e enriquecida casa, perdoe-me, espero poder visitar os amigos sempre nem que seja devagarinho, as postagens dos meus blogs vou colocando aos pouquinhos, já atualizei nestes sete dias quatro deles, fazia tempo que estavam parados, paz e muita luz em teu belo coração, Luconi

Coluna da Mi disse...

Oi poeta! 0/

Muitos não acreditam em espírito, acreditam que tudo acaba aqui e a morte é um sono eterno. Morreu, acabou.
Eu creio que o espírito não morra, mas não creio que ele reencarne em outros corpos.

Como cristã, creio nas Escrituras Sagradas que em Hebreus 9:27 diz:

"Da mesma forma, como o homem está destinado a morrer uma só vez e depois disso enfrentar o juízo".

Mas ficou meio contraditório para mim essa poesia porque para mim, espírito, alma, são sentimentos, mente, pensamentos... Não acredito que na vida eterna iremos esquecer de tudo o que vivemos aqui. Será apenas uma continuidade.

Parabéns pelo poema poeta das asas douradas! :)

Carol Russo S disse...

A VIDA NÃO MORRE!!! E não acho que ela seja antônimo de morte... O nosso espirito é carregado de vida!
Achei de uma sensibilidade enorme seu tema para o poema, Samuel... (como se isso não fosse típico de ti)
Fiquei arrepiada! Parabéns por nos despertar tantas sensações!

Beijos

Marly de Bastos disse...

Acredito que o homem é um ser tricotômico. Ele é um espírito, possui uma alma e mora num corpo. E no fim das contas, sobra o verdadeiro eu, assim como você muito bem poetou. Versos simples com um assunto muito profundo.
Estou tentando voltar aos poucos, ainda me pesa um desânimo, um certo amargor e um preguiça.
Bjkas doces

Bandys disse...

Oi Samuel,
penso que tudo que é material acaba. mas realmente a alma, o espirito jamais.A vida não pode ser somente aqui. Senão não precisaríamos alimentar o espirito. cada evolução é um degrau para vida eterna
Um beijo afetuoso e um fds cheio de luz e paz.

Roselia Bezerra disse...

Olá, Samuel
O espírito é imbatível... Gostei muito do seu poema!!!
Abraços fraternos

Soneto de Emoções disse...

Bom dia Samuel
O espírito vence
Abraço
Bárbara

Just me disse...

Lindo seu poema, Tb acho que o espírito não morre. E nem as lembranças daqueles q se foram.
Bjs

http://achadosdamila.blogspot.com.br/

Elyane Lacerdda disse...

Lindo, poeta amigo!
Eu também acredito que o espírito não morre jamais, não somos apenas essa aparência física que apodrece, somos muito mais!!!!!
bjus e bom final de semana,querido!
http://www.elianedelacerda.com

Bia Hain disse...

Olá, Samuel, como vai?
Sempre que vejo egoísmo em excesso ou ostentação imagino como aquela pessoa está cuidando do espírito. Assim como a preocupação com que fazemos com nosso tempo até que chegue a hora da partida. Estar bem, sempre, é o melhor que podemos fazer por nós. Um abraço!

Tamires Cipriano disse...

Olá Samuel, como vai?

Ninguém nunca pensa no que acontecerá depois da vida, não fazem o bem agora, não cuidam do espírito, não cuida de si mesmo...
Nunca é tarde para repensar, fazermos o bem e parar de correria não é? Mas infelizmente muitos como eu somos em parte ou totalmente escravos do relógio, do serviço, do tempo...

Amei seu poema, aliás, gosto de todos eles =D
Grande abraço meu amigo e ótimo fim de semana!
De tudo um pouco

JAIRCLOPES disse...

Um acróstico

Sem nenhuma egóica pretensão
Assim vai o poeta descortinando
Move-lhe alumbramento e paixão
Unindo os sonhos vai costurando.

Entrelaça letras, palavras e frase
Libando um resultado assaz doce
Brandindo grande êxito, ou quase
Amando obra prima como fosse.

Lábios selados, quedos e mudos
Boca que nada mais pronuncia
Incluindo mensagem e conteúdo.

Nada no mundo tão bom estaria
Onde e quando o nexo contudo
Torna palavras e frases, poesia.

Laura Santos disse...

Só espírito não morre,ou algo que reste dele como sentido, sentimento e memória da humanidade.
Um belíssimo poema, Samuel, e Muitos Parabéns pelo teu livro! Fico contente por ti, pois tanta sensibilidade e criatividade merece estar agregada em livro.
Tudo de bom!
xx

Patrícia Pinna disse...

Bom dia, Samuel. O espírito é eterno, claro.
Tudo em nós é mutável, tem um fim determinado, se esvai.
O espírito repousará em lugar tranquilo se quando partirmos dessa vida formos pessoas que tenhamos praticado o bem, logo, ele estará em paz, caso contrário, viverá em dores.
Ótimo poema.
Beijos na alma e lindo dia.

Sony Azevedo disse...

Belos versos! Na vida tudo passa... Muita luz e paz. Abs

Bianca Marques disse...

Boa tarde, Samuel.
Em retribuição à sua visita, vim ler um pouco dos teus versos. Cheios de leveza, transmitem sossego a quem lê.
Obrigada pelos comentários generosos. Tua poesia é delicada e bonita, virei mais vezes aqui!

Tais Luso disse...

Belo poema, Samuel. Minha educação foi toda nessa base do espiritual. Principalmente do lado de meu pai. Jamais esquecerei como se comporta a morte e a última manifestação da matéria. Lembro que ao pressentir sua morte naquele momento, fiz todos nós que estávamos ao redor da cama se darem as mãos, avisei a todos que a hora estava mais presente do que nunca. Amigo, foi algo chocante aquele segundo em que fixei meus olhos no rosto de meu pai: do rosto já meio amarelado, num segundo virou uma cera, branco, sem vida. E foi-se, pra nós tudo acabou ali, para os que ficaram. Para ele, esperou a hora com uma tranquilidade nunca vista e com sua fé inabalável. E tudo se misturou na minha cabeça. Até hoje não sei o que pensar: vi a vida trocar de lado, encostada a mim...Tudo tão rápido, parece sem explicação. Mas tenho de dar um tempo para minha cabeça.
Beijos, amigo, lindo e verdadeiro, deu o que pensar.