LAPIDANDO VERSOS

Home Quem escreve Meus livros Contato

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

O BANQUETE

Carne nova descendo a cova fria...
Vermes gordos pisando sobre mim
Coberto por um terno de cetim...
Vermes fazendo de mim moradia;

Fazem valetas... tanta é a euforia
De comer uma carne carmesim...
De comer um pulmão, um baço, um rim...
Que esqueceram-se da melancolia;

Estão todos sentados no meu crânio
Raspando os duros ossos de titânio...
Lustrando o meu estático esqueleto;

É um farto banquete para os vermes...
São tantos os pedaços de epidermes
Sendo comidos num prato completo;                             

45 comentários:

Célia Rangel disse...

Atrevidamente real seu poema sobre o valor da vida de pretensos gananciosos que se denominam "donos da mesma"... Misericórdia!
Abraço.

Rute disse...

Samuel, deu tudo certo ontem a tarde.(ainda bem, rs|)
Por mais que não queremos aceitar é dessa maneira que terminamos, quando vamos para baixo da terra, um corpo que os vermes fazem banquetes.
Beijos, boa semana

Bell disse...

oi Samuca

Contra a morte nada prevalece.

Um lindo dia pra vc =)

Laura Santos disse...

Ah, que bela descrição de um verdadeiro banquete!
Imagino até a sofreguidão desses vermes..:-)
Boa, Samuel!
xx

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Oi Samuel,Os vermes devoram a carne,mas o espirito continua.
bjs amigo.
Carmen Lúcia,.

Soneto de Emoções disse...

Bom dia Samuel,
Meu Deus, credo, ainda bem que a gente está morta.
Uau, você é formidável
Abç
Bárbara

Cidália Ferreira disse...

Ohh Samuel!!!

Levaste o meu imaginário até onde não queria ir. looool Mas convém ir-me preparando. :-)

Cidália Ferreira disse...

Otima semana

Beijos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Vall Nunnes disse...

Um dia preparamos e/ou desfrutamos de um farto banquete (somos nós os vermes) para algum dia virar o banquete.
Maravilhoso Samuel!
São momentos naturais na vida.
Até sempre!

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Tão realista para não dizer tétrico.
Tenha uma boa semana, Poeta.
Beijo*

☆Lu Cavichioli disse...

Oi meu querido, passando pra te ver e te deixar um abraço!
sdds

Vera Lúcia disse...

Aiiiiiiiiiiiiii! Arrepiei aqui! - rsrs
Essas verdades incomodam, né não?
Enfim, é o fim de todos, por isso temos que tentar valer nossa passagem por aqui, cientes de que o corpo será devorado por esses gordos e insaciáveis vermes, mas que o espírito sobreviverá "ad aeternum". Cuidemos, pois, do espírito, para que ele possa sorrir enquanto os vermes devoram sua carne.

Beijo, querido amigo.

Feliz semana!

Ricardo- águialivre disse...

Até arrepia...de tão verdadeiro...por isso quando morrer quero ser cremado, para que não haja nada para ninguém no que se refere aos vermes...xõ, lool

Deixo cumprimentos

http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

Lívia Apetitto disse...

Gostaria de fazer as minhas vezes,
algo diferente, de todos os outros,
ofertar a você o mais belo banquete,
no mais simples que a luz seja o tesouro...

Sabe, embora sejamos consciente,
não quero pensar na ventura do amanhã
o melhor de tudo é viver continuamente,
sendo bem aventurado pelas coisas sãs...

Quantas trocas já fizemos,
inúmeros foram os vestuários,
alma viajante de séculos passado,
diz, quantas somas de aniversário?

Roupagens servem de viagem,
depois a gente deixa por aqui,
dado o retorno da passagem,
felizes são os que te Bem-te-vi...

Beijinhos meu amigo, como sempre surpreendente. Gosto de te ler na soltura dos teus versos.
Que nunca te falte inspiração,
isto é o que a Deus por você peço...

Livinha

Daniela ♥ disse...

Perfeito *.*

Adorei o seu blog e já estou a seguir :D
beijinhos,
Daniela

http://ddocesonhadora.blogspot.pt/

Evanir disse...

Venho te deixar um grande abraço bem
apertado com imenso amor ,
aquele amor que só existe numa grande amizade.
Eu me sinto feliz por poder contar
com seu carinho .
Na minha vida receber você no meu blog
é meu melhor presente.
Desejo você uma semana abençoada.
Beijos no coração..
Evanir..

dinapoetisadapaz disse...

Versos soberbos, porém verdadeiros Causou-me arrepios, também prefiro ser cremada .
Grata pelo carinho deixado em meu blog.
Bjs de luz em seu áureo coração poeta gentil.
Adoro sua visita.!!

Bruxa disse...

Ai! Sórdido... dá arrepios.
O melhor é viver os momentos preciosos, sem pensar em tais coisas.
Que sua semana seja maravilhosa.
Abração e até sempre.

Simone Lima disse...

Uau, incrível como a imagem vem fazendo toda a dança enquanto te leio! Adorei!! Aliás, você é fascinante nos seus escritos!!

Obrigada pela visita lá no meu espaço, espero te ver lá mais vezes ;)

Beijoo'o

Coluna da Mi disse...

Oi poeta das asas douradas! 0/
Como já nos falamos no Facebook, sabe que estou adorando essa tua fase mais ousada e essa poesia maldita é bem forte, pelos comentários percebi que mexeu com a emoção de muitas pessoas e assim é um grande poeta, mexe com TODO TIPO DE EMOÇÃO, não somente as arco-íris.
Meus parabéns pela poesia e ousadia!
Beijo grande e até sempre! :)

Fábio Murilo disse...

Augusto dos Anjos assinaria embaixo.

LUCONI MARCIA MARIA disse...

Menino o poema foi muito bem escrito, real o seu conteúdo, mas eu o acho pesado, desculpe, bjos Luconi

ღ Miih...ღ disse...

Bom dia meu querido Samuca.

VC como sempre nos surpreendendo com todos os temas e transformando em poesia de uma forma incrível.

Saudade de passear por aqui e mergulhar nos teu poemas sempre cheios de verdades.

Sei que estou em falta..mas aos poucos vou me organizando e me fazer mais presente.

Obrigada sempre pelo seu carinho lá no meu blog viu.

Beijos meus e como vc como vc diz 'até sempre' RS

Otimo dia pra ti seu lindo.
😃

Ariana Coimbra disse...

A vida em si já um banquete, cada a cada um decidir qual é a melhor forma de devora-lá.

Beijo

Smareis disse...

Oi Samuel Poeta brilhante!
Boa tarde, tudo bem amigo?
Não se chateie comigo por esta tão ausente, prometo que logo estarei mais presente.
Tuas escritas são espetaculares... Você sempre consegue colocar emoções, sensações, realidade, momentos, sempre de maneira profunda e maravilhosa.
Estava lendo e pensando, que banquete especial, esse vermes devem até fazer um repouso depois de cada refeição. Isso é arrepiante, mais verdadeiro. As palavras quando são bem colocadas exerce poder muito grande quando a lemos.
Levaste-me em lugares que meus pensamentos permutaram, congelaram... Essa é linha final de todo ser vivo da terra. Eu sempre digo aqui em casa que quero ser cremada e jogada no mar. Mais na verdade o que importa e o espirito estar em paz, o resto e apenas restos. Somos devorados vivo e mortos não tem como escapar...

Quero adquiri o seu livro, já passou da hora rsrsrs..; a noite te escrevo um e-mail, como proceder.

Desejo-te um belo dia enfeitado de flores com caminhos de poesias.

Um grande abraço e um beijo no coração.

Lindalva disse...

Meu menino poeta, meu donzelo de Garibaldi, meu menestrel das ondas, estou devagar voltando a navegação blogueira e, quão surpresa em aqui retornar em tua página cor de rosa e vê este "banquete" de livros.... Boa novidade meu querido e vou querer todos e breve entro em contacto contigo para adquirir estas preciosidades... E no retorno total as ondas meu príncipe conto com tua participação no Boas Festas 2014, sim pois mais um dezembro se aproxima em nossas vidas e, como tradição vamos homenagear o aniversariante Jesus Menino, por isso estou te esperando na Ilha para nos interagirmos nesta comemoração. Um enorme beijo no coração.

Just me disse...

Essa poema me fez ver uma certa beleza mórbida e nojenta nesse banquete. Imaginar que fazemos mesmos parte de um ciclo sem fim e que tudo pode ser aproveitado, nada se perde. Quando não interferimos a natureza é perfeita!
Bjs

http://achadosdamila.blogspot.com.br/

JAIRCLOPES disse...

Soneto-acróstico

Outro poderá ser o banquete também
Onde houver político assim afaimado
Um dia qualquer como outro vai e vem
Trazendo fome para o carinha ao lado.

Roda esse Planeta e sempre continua
O roubo e o esbulho total em Brasília
Bastante para alguns, o pobre na rua
Algum futuro teremos só com anarquia.

Nesses esconsos bastidores do poder
Quem pode, algumas benesses herda
Uns escolhidos estão aqui no vir a ser.

Enquanto para estes não haverá perda
Todos os demais ficam sem nada ter
Então nós os pobres ficamos na merda.

Evanir disse...

Boa tarde amigo poeta e escritor
de versos dos mais belos que conheço .
Esse banquete me assustou porém a realidade é tudo isso .
Uma verdade da medo mesmo sendo pura realidade.
Feliz final de semana beijo.
Evanir.

Bárbara disse...

Oi poeta amigo
Você terá o que desejar.
Abç
Bárbara

Eu...Suzana disse...

E assim será. Quando o dia se fechar e o sorriso desaparecer, tudo o que for matéria morrerá e apenas nossa alma viverá.
Muito bom meu querido Samuel.
Beijão no coração.

Carol Russo S disse...

Senti um asco completamente absurdo ao ler... Mas é isso que se espera de uma boa poesia: que cause sensações!!! Ótimo Samuel!

Elyane Lacerdda disse...

Lindo poema,amigo!
Seremos isso um dia, estaremos na terra fria e os vermos se fartarão!
Amei esse seu poema e estamos perto do dia dos mortos, o que nos faz refletir muito sobre a vida e a morte, e rever conceitos!
Bjus e ótimo final de semana,querido!
http://www.elianedelacerda.com

Bandys disse...

Olá Samuel,
Um poema realista e bem triste.
Infelizmente já presenciei muitas mortes a começar pelo meu pai que morreu em casa dormindo.
E sabe que depois de tanto pensar eu prefiro a cremação. Quero que minhas cinzas fiquem no mar.Já me certifiquei que precisa fazer um documento, mas se tiver 2 testemunhas não tem problema.
Bom moço bonito tem um lindo fds cheio de luz e paz. Bjs

Bia Hain disse...

Nossa, Samuel, poema forte... e no final todos acabamos assim, não é mesmo? Arrogância, vaidade, egoísmo, materialismo, nada diso vale na hora da partida. Só o que faz bem à alma é o que deve ser conservado. Um abraço!

Rita Sperchi disse...

Bom dia meu poeta, arrepiei agora , nesse poema triste, mas é nosso fim mesmo , de que adiante ser tão egoísta , querer o poder se todos vão pra debaixo da terra igual...mas tá ai uma realidade.

Meu lindo como sempre faço no final de ano um sorteio de presente de natal, vou querer um livro seu mas a gente combina tá bom, vou sortear dois do meu irmão e um seu tá ok

Abraços com carinho!
Bom final de semana

└──●► *Rita!!

Nal Pontes disse...

Oi Samuel, a morte tem seu lado triste e aterrador. os vermes não deixam escapar nada. Ui!!

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Oi menino Samuel,passando para lhe desejar um lindo domingo e agradecer pelas visitas.
bjs-Carmen Lúcia.

Aline Thompson disse...

Oi, Samuel!
Tudo bem?
Você já deve imaginar - Claro que eu adorei esse post!
"É um farto banquete para os vermes" - se bem que "não iam se fartar tanto dos 52 kilos" - lembrando seu coment lá no O Diário Thompson! xD
Esse poema me fez lembrar de um filme, que gostei muito de assistir - "Sepultado Vivo". Não confundir com o "Enterrado Vivo (Buried)". Esse "Sepultado..." é assim - A mulher do cara tem um sórdido caso com o médico e decidem matar o cara... O médico usa veneno de baiacu, na tentativa de fazer parecer um ataque cardíaco, mas a dose não foi suficiente para matá-lo e acaba sendo enterrado vivo no quintal da casa. Ele volta para se vingar, arma uma arapuca e consegue enterrar vivos a esposa adúltera e o médico!
E... Claro, me lembrou do Stephen King... Tem uma série de tevê da TNT, baseada em contos deles, "Nightmares & Dreamscapes". E tem um episódio em que um homem é mordido por uma cobra venenosa, cai em um estado catatônico, é dado como morto e se torna testemunha de sua própria autópsia.
Muito obrigada por estar sempre lá no meu blog, prestigiando!
...beijinhos***






Lu Nogfer disse...

Olá meu amigo!

Que banquete heinn!Afff! rs

Desculpe a demora, querido. Estou um pouco ausente na net porque estou com visitinhas em casa, viu!

Beijinhos pra você e um doce domingo!

Célia Lima disse...

Oi menino poeta...Que banquete mais sinistro hein!
Eu sei todos um dia seremos esse banquete.
Não poderemos fugir dessa realidade.
Porém espero que seja em um futuro...
Bemmmm distantes!

Bjss.

Evanir disse...

Sua amizade sempre foi muito importante para mim
sem duvidas acredito ter lutado muito nesses anos
embora poucos estavam comigo a quase dez anos atrás.
Hoje estou passando para deixar um
pouco do perfume que ficou no frasco.
Embora tenha capacidade de entendimento,
que passado é perfume de primaveras mortas.
Agradeço por tua amizade tão especial,
e por me fazer sentir que ainda sou
alguém com quem você se importa.
Deus te abençoe ..sempre..
Um abraço grande ,
e especial.
Com muito carinho.
Evanir.
Tenha uma linda ,
e abençoada semana..
Eu amo vir a seu blog gosto imenso.
Em 14 de Julho 2013..
Hoje posso chamar de ano dourado..
Estou matando saudades!!

Sony Azevedo disse...

Um soneto real e sinistro. Como não quero ser o banquete, usarei a pira da eternidade. Feliz semana. Abs.

Rafaela Sena disse...

Oi Samuel! tudo na paz?! gostei da construção da poesia: concisa, ácida e bem encaixada. Boa sonoridade, me lembrou Augusto.
Abraço!
Até sempre!

Tais Luso disse...

Nossa Senhora... se minha falecida mãe lesse teu poema concordaria em tudo, a discussão entre meu pai e ela é que ela não suportava essa visão que passas; meu pai queria morrer como a religião dizia: voltar à terra. Eu não posso nem pensar nessa possibilidade que mostras; por outro lado não me passa pela cabeça ir pro fogo! Que farei??
Deixando a brincadeira, Samuel, teu poema é forte, real e mostra que na verdade não somos coisa alguma: vivemos pouco (a média é baixa) e só temos duas opções. O depois desse quadro caótico, é outra conversa...
Parabéns, aplaudo teu poema maduro, verdadeiro! Diante dele fiquei até um pouco acovardada.
Beijos, querido amigo.